AMALAYA | DENSO E SUTIL!
15681
post-template-default,single,single-post,postid-15681,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-title-hidden,qode-theme-ver-9.5,wpb-js-composer js-comp-ver-4.12,vc_responsive

DENSO E SUTIL!

Houve uma época em que ser rico era ter força física, pois os fortes eram capazes de manter suas terras e propriedades contra os ataques iminentes para disputa de posse de terra.

A humanidade evoluiu ao desenvolver os acordos verbais, registros e papéis que permitiram os humanos usarem sua energia para o desenvolvimento do new cortex no lugar do excesso de massa muscular.

Vemos isso acontecer em vários aspectos, na própria riqueza, que depois de ser medida pela força física, foi medida pela quantidade de ouro e propriedades, depois pela quantidade de papel moeda, então pelo limite do cartão de credito, e agora estamos chegando na era das criptomoedas, onde toda riqueza caminha para virtualidade.

Esse fluxo acontece com uma espiral dupla, por um lado nos criamos do sutil para o denso ao mesmo tempo que estamos caminhando do denso para o sutil.

Se por um lado o físico tem um limite, por outro, a energia sutil não está presa ao tempo nem ao espaço.

Não temos idéia do que pode o corpo (mente/físico/anímico), por isso seguimos na trilha do desenvolvimento para chegar a altura do nosso potencial, um potencial não transcendente, mas esse que temos disponível aqui e agora, que está encoberto pelas crenças, padrões e hábitos.

O potencial onde somos a expressão de nossa essência ao invés de sermos a representação de uma existência.

Na representação estamos sempre preocupados com os sintomas; na expressão, estamos atentos a criação do caminho.

Cada vez menos confundimos sanar os sintomas com curar a causa da doença.

Uma perspectiva (da bioneuroemoção, da Nova Medicina Germanica, entre outras) é que toda doença começa no sutil, a partir de um conflito emocional que não se resolve e com o tempo chega ao físico, e quando a doença se apresenta no físico, paradoxalmente, se abre para a fase de cura, isso é, já se tem acesso ao conflito original.

Não se cura o conflito através do denso, da medicação, do físico.

Se existe uma dor de garganta por um conflito, não se cura o conflito ao curar a dor de garganta, porém se o conflito é dissolvido, a dor de garganta desaparece.

O sutil transmuta o denso, mas o denso tem uma influencia muito menor no sutil.

Nosso caminho tem sido potencializar a força sutil através da conexão com o corpo e criar um físico mais presente.

Na integridade entre denso/sutil, concreto/abstrato, físico/emocional, ampliamos o acesso a percepção, que nos leva a uma vida mais conectada e com mais confiança no processo da humanidade.

Este ano iremos criar nossas jornadas mensais com experimentos que integram o limite da matéria a sua energia ilimitada.

Vamos iniciar com a transmutação alquimica e nos conectar com o acesso que qualquer matéria pode nos oferecer.

O que ainda precisamos praticar para que a força bruta seja tocada pela essência?

Além das praticas das jornadas mensais, também temos todas as quartas-feiras os encontros virtuais.

Sejam muito bem-vindos!

Para mais informações escreva para anavidaativa@gmail.com